Formação de grupo técnico garante limpeza e monitoramento das praias de Alagoas

De norte a sul de Alagoas, entidades fazem varredura para encontrar e limpar manchas de óleo nas praias. As equipes se dividem em avaliações por terra e por ar desde o início desta terça-feira (15). As ações estão sendo coordenadas pelo Grupo Técnico de Acompanhamento (GTA), formado após reunião que aconteceu na segunda-feira (14).

O Grupo é constituído por representantes dos órgãos estaduais – Instituto do Meio Ambiente (IMA) e Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh); federais – Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio); e Marinha – Capitânia dos portos. Contando ainda com o apoio das secretarias de Meio Ambiente dos municípios atingidos.

Segundo Alex Gama, secretário executivo de gestão interna da Semarh, o GTA pretende “articular as ações dos órgãos, otimizar os recursos e dar suporte aos municípios na limpeza e melhor articulação para a coleta e disponibilização final desse material”, disse.

Para a operacionalização das ações, o grupo conta com três helicópteros disponibilizados pela Marinha, Ibama e governo do Estado, além das embarcações do IMA e da Capitânia dos portos, que também disponibilizou o píer para embarque, desembarque e acomodação de materiais. O GTA deverá realizar reuniões, inicialmente, diárias para avaliação e definição de novas ações.

O Grupo fará, ainda, o registro diário da situação das praias, conforme informações repassadas pelos municípios. O Ibama estabelecerá uma espécie de protocolo para categorizar as manchas, por intensidade e ocorrência; as ações continuarão diariamente por terra, ar e mar; após a definição de possíveis ações emergenciais os esforços serão concentrados para limpeza e retirada dos materiais antes da subida de maré.

Ações

Nesta terça-feira (15), as ações acontecem em toda a costa alagoana. Nos municípios de Maragogi, Japaratinga, Porto de Pedras e São Miguel dos Milagres, a varredura é feita por terra, por equipes formadas por técnicos da Semarh, além de secretários municipais de meio ambiente e voluntários. Apenas em Porto de Pedras foram encontrados fragmentos até o momento.

Desde a Barra de Santo Antônio, passando por Paripueira e Maceió, a varredura ganha o reforço da equipe do Ibama, por terra, e sobrevoo da Capitania dos Portos. A vistoria está sendo feita por técnicos do IMA a partir da região sul de Maceió até à Barra de São Miguel, onde a equipe de Educação Ambiental faz um mutirão de limpeza junto com a prefeitura e comerciantes locais.

“Nós começamos também a verificação na região das fozes das lagunas e nos recifes de corais para monitorar e evitar maiores danos ambientais nesses ambientes”, comenta Ricardo César, coordenador de Gerenciamento Costeiro do IMA.

A partir da Barra de São Miguel, há uma equipe da Capitânia dos Portos se deslocando por todas as praias, em ações de vistoria por terra. O Ibama complementa a ação com a verificação através de sobrevoo. Em todos os municípios, os secretários foram contatados e orientados a fazer o recrutamento de pessoal para retirada imediata do óleo, caso haja aparecimento.

No litoral sul foram encontrados fragmentos também no município de Roteiro, praia do Gunga e em Jequiá da Praia – região da Lagoa Azeda. Nos dois casos, prefeitura, voluntários e comerciantes também fazem mutirão de limpeza.

No final da tarde desta terça-feira, uma nova reunião deverá definir as ações para a quarta-feira (16), e, na quinta (17), a equipe de Educação Ambiental do IMA organiza outro mutirão de limpeza, dessa vez na praia do Pontal do Peba, em Piaçabuçu.

Ascom – 15/10/2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *